Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de 2010

Munique - Cartas de um Amante

As ideias percorrem sua cabeça sem ela conseguir controla-las...
suas cartas não fazem mais tanto sentido...

"Estás tão frio...
Acreditei que em você eu faria meu final feliz...
Acreditei fielmente que havia encontrado quem procurei...
Mas sempre faço a merda de me entregar demais...
Sempre pra sofrer depois...
Ter sempre que entender sem ser entendida..
Minha garganta dói de tanto chorar... minha testa dói... meu olhos doem...
Ah e meu peito... não aguenta mais de tanta dor...
Eu não quero que sejas mais um amor meu...
Eu juro que não quero...
Me ajoelho aos pés do Criador e pergunto por que tudo é tão igual???
Por que minhas lágrimas não param de rolar...
POR QUE EU NÃO PARO DE SOFRER????
Nada mais faz sentido...
Tudo é motivo de briga...
Essa noite vi você caminhar a minha frente sem nem olhar pra trás...
e foi sumindo a minha vista..
Sentei-me num banco antes da grade que nos dividia...
O tempo era realmente chuvoso
Mas dentro de mim parecia haver um temporal...
Foi assim que chorei..."

Ela es…

Samanta - Cartas de um amante

Mais uma carta depois de tanto tempo!
Ela vem me dizer que está feliz novamente...

"Que saudade!!!!
A tempos não lhe escrevia, eu sei, mas tenho andado um pouco ocupada tentando entender o que se passa aqui.
Encontrei meu grande amor! Dessa vez sei que vai dar certo!
Na próxima te contarei mais detalhes!
Com carinho, Samanta."

Ela sonha somente esquecer todo aquele passado
Tenta mais uma vez viver um grande amor...
Mas seus medos a acompanham...
Será que ela nunca vai saber amar...
Ou o amor que nunca soube dela???
Ela tenta...
Seu coração palpita ao ve-lo...
Espero não receber mais cartas chorosas...
Ou espero recebe-las em breve...

O revolucionário

Em mais um de nossos reencontros
Me olhavas sob cílios de descrença
Nada que não passa de dúvidas internas sobre sua própria existência
E da sua boca saía somente
Sarcasmo e ironia...
Por vezes tentava até me explicar sua literatura revolucionária
Algo baseado em uma descrença.
Algo inspirado em nada...
Tudo para ocultar o medo de um Deus.
Vivo ou morto..
Fala da ausência de um Deus que acredita não existir...
Mas ainda sim continua falando...
Também critica meus versos antiquados, românticos e simples...
Pois tua alegria é seguir pensamentos que não são teus
Tens medo das suas dúvidas
E daquele Deus que você não acredita!
Canta-me uma suposta revolução...
Nada que me agrade...
O que são suas frases além de estercos que adubam minhas ideias?
Seu sumiço me inspira...
As miragens antes sonhadas desapareceram como num passe de mágica.
A menina que sonhava, hoje tem que viver.
Ela sorri como se fosse tudo um maravilhoso sonho.
Mas sem contar pra ninguém
Ela desacreditou em todos aqueles
Só contava-os para acreditar que fossem verdades
Até pensa parar de escrever aquelas cartas remetidas para ningém.
Pura ingenuidade acreditar até que a realidade existe...
Símiles, hipérboles e mesóclieses não fazem mais tanto sentido.
Ele queria aquela dama menos que seu orgulho.
Mais que sua vontade.
Buscou-a em milhões de corpos, mas nunca encontrou-a
Voltas e mais voltas dadas obrigaram-no a parar, de tão tonto.
O passado nunca o havia obrigado tanto a olhar para trás.
Foi quando viu em sua frente.
Parada, quieta, calada...
Pegou sua mão e falou simplesmente:

- Siga-me.

Voltaram juntos.
Ela o estava esperando.

Amor e medo - ultima carta?

Com tantas marcas na alma ela ficou um bom tempo sem me escrever...
Eu todos os dias verificava minha caixa de correios... eram propagandas, cobranças, mas nunca mais as letras infantis daquela senhora...
Até que uma noite surge por sob a porta um papel molhado... não sei se de lágrimas ou da chuva forte que caia...
Não deu tempo de ver ninguém colocando aquele papel...
quando vi, já estava lá!

" Querido, sinto a demora na hora de demonstrar meus sentimentos... Nem tenho mais a certeza de sentir...
Não sei se é realmente o que eu quero...
Amar? sofrer...
Tua poesia satisfaz meu ego, mas não meu coração...

sinto, não mais lhe escreverei, talvez não procures mais minhas cartas, mas desta vez meus olhos a te fitar... te implorar..

tão perto e tão longe...

distante...

A longa distancia de um olhar!"


Nunca fiquei tão confuso quanto desta vez.

Hoje

Mas chorando o triste fim de um amor não amado
Foi-se embora permitindo-lhe apenas um até já
Mesmo querendo ficar
Com um triste beijo na face teve que partir
Sua vontade era debulhar-se em lágrimas
Mas as guardava para o próximo momento de dor
Andou por aquela rua deserta
se perguntando
- Será que por alguma sorte ele surgirá gritando se arrepender?
O que passou foi um homem quase desconhecido
Ofereceu-lhe ajuda
E querendo provar os lábios do homem amado
Beijou aquele no qual nunca pensou
Foi dormir querendo seu amor...

Rafaela

Por revolta, ela tirou a roupa
Não tem mais meios,
nunca foi pura
Ela deitou-se
Ele não queria
Deitou-se também
Antes que amanhecesse o dia
Tomou um banho frio e foi embora
Já estava na hora
Ela não satisfazia mais o seu desejo
Nem os beijos eram tão saciáveis
Ele era um passarinho e ela uma linda gaiola.

Corpos

Mas nunca busquei outros corpos
Eles estavam mortos e somente o teu sobrevivia
Antes até que pudesses dar bom dia, dormi.
Caindo aos prantos sonhei com os corpos
mortos
Sonhei com as alegrias não vividas sonhei com as fantasias não sonhadas
Sonhei até com os amores de nois dois
inexistentes desde a primeira vez que dormimos juntos
Não houve bom dia
Não tivemos boa noite
Não houveram nem resquícios de nada
Nem nada houve
Se pelo menos não houvesse nada pra sonhar
Não haveria nada pra esquecer nem nada pra lembrar
Nunca busquei outros corpos que me aquecessem
Por isso essa noite dormi sozinha pensando em você
Chorei,
A mistura confusa dos meus sentimentos
Não uma misura homogenea...
Uma mistura, simples e pura.
Ódio, amor e dor...
Sentimentos que não sei definir
mas mesmo assim, os corpos, vivos ou mortos, toda noite vem me procurar.
Perdoa-me minha indiscrição
É que minhas palavras não permitem que eu me contenha
Elas saem, ousadas...
Perdoa-me todos os carinhos dispensados sem pudor
Sem pedir nada em troca
Nem um toque do teu olhar
Nem uma fagulha do teu medo
Perdoa-me todas as vezes que me anulei para te satisfazer
Peroda-me ter perdido toda minha personalidade para satisfazer tuas vontades
Carinhos que mendigam carinhos
Perdoa-me minhas verdades
As vezes não consigo fingir que não sei
Desculpa saber
Queria eu te esquecer
E não ter vontade de te matar
Toda vez que você me magoa
Que brinca comigo
Que me usa e diz que é pra eu não sonhar com nois dois
Me levou ao mais alto precipício me dizendo ser a vista mais linda que tem
de lá de cima me empurrou
Só que vou levar você
Vou feri-lo
Magoa-lo
Tudo isso por amor.
Perdoa-me.

Cartas de um amante

Ela voltou a me escrever...

Mais uma vez com uma vida turbulenta e sem sentindo vem deslizando suas letras infantis até a minha pessoa.
Ela está chorando, com frio e com medo...
Mas o que eu posso fazer se sou só um destinatário sem rosto e sem resposta
Quase uma consiencia...
Quase...
Lendo suas letras pude notar sua dor...
Compadeci-me dela, porém nada posso mover.

" Mais um, mais uma vez!!!
ele é mais um que chega e vai embora, que não tem hora nem pressa do nunca mais
Ele é mais um que mente mais um qe não quer saber se está nmagoando e mais um, que só pensa em si.

Mas estou triste por que ele é mais um que eu acredito, mais um que eu me entrego e acabo voltando a você...
Acabo chegando aqui...
Acabo sozinha com uma carta borrada..
Mas tentando terminar eu nunca acabo"

Estava sentindo falta mesmo sem nunca entende-la
Hoje minha alma chora,
Ele vai embora sem nem me dizer adeus
mas o seu olhar me falou
que não vai voltar
e eu gritei
mas parece que os ouvidos dele não quiseram me ouvir
seu corpo já rejeitava o meu
não queria mais minhas caricias
minhas palavras nunca foram suficientes mas minha presença um dia foi
Hoje minha presença o perturba,
E meus carinhos não o satisfazem
Embora tenha trocado algumas letras comigo pelo meio mais frio
ele, de costas, com seu olhar me disse adeus
E eu chorei
Ele nem viu meus olhos se encherem d'água...
As lágrimas eram o rio que corre em mim transbordando de tristeza...
o amor indo embora por onde eu notei não haver mais como
Mas eu insisti...
E ele não está mais feliz aqui
Mas eu insisto...
E ele não é mais feliz aqui...
Egoísmo da minha parte querer seu amor...
Só por que eu dei a ele todo o que eu tenho...

ACENDER ELA

Ela põe uma máscara de princesa encantada para não notarem que tem medo desta.
Meninas, meninas, são sempre tão tolas...
Alegam Chorar por amores impossíveis...
Se é impossível, não teve amor..
tirem as máscaras, fiquem nuas, talvez assim sejam notadas...
Se não, pelo menos terão doces noites de prazer...
Ser livre tem dessas coisas...

A idade passou,,, aquela menina foi embora em uma carruagm, mas não tem nenhum sapatinho de cristal pelo caminho...
É... ninguém aproveitou, ninguém dançou esperando o príncipe ncantado chegar...
Ele não chegou...
Sabe por que?

Sua carruagem era um abóbora e não estava emplacada!

Tolice das moças que buscam um homem ideal...

Seja a mulher errada, será a mulher perfeita...
Tire a máscara...
Seja você.
Quem sabe assim seu motorista não seja um rato, você não precise lavar o chão dos outros por que está morando de favor, não precise ir ao baile com uma roupa alugada tendo que ser entregue justamente na melhor hora da festa e no final o cara que você tá procurando ter que…

Noite fria de orvalho quente

sob a luz da lua deitaram-se exaustos..
O orvalho quente dos corpos se fundia ao orvalho frio do tempo
As respirações ainda se mantinham ofegantes mesmo após adormecerem
Também pudera, noites inesquecíveis cortam o ar para renderem suspiros futuros
O gozavam juntos,
O pudor não lhes importava
Eram jovens
Seus cabelos negros encobriam os rostos enquanto se beijavam
Os movimentos se tornavam intensos
de acordo com o prazer
com ela por cima, ele podia admirar cada forma da jovem
Sua feição mudava, ele sorria, trincava os dentes, mordia a língua
Para só então notar que necessitava beija-la
Tudo começou com um toque, tudo começou com um beijo
Tudo começou com um olhar
Numa manhã quente quando o orvalho dos corpos não tinham um bom sentido

Estrelas

Brilham estrelas no meu céu
As quais eu nunca antes havia visto
E chorei, ao reparar o brilho de cada uma delas
Encantavam-me pisccando cada vez mais forte
Mal sabia que quanto mais piscavam
Mais proximas de morrer se encontravam
Assim foram todos os meus amores
Estrelas de uma bela noite
E quanto mais lindas, mais proximas do fim
Ela olhava para ele e acreditava em todas as promessas que aquele homem fazia

ele afirmava ama-la para sempre.

Em alguns momentos notava suas falsas verdades e retificava: - vamos esperar o tempo falar

Quando louca de paixão estava

ele se encontrou são..

Para acordar do sonho somente rios de lágrimas a poderiam acordar.
A chama que queima em mim
nem toda a agua do mar pode apagar
a agua que corre em mim
nem todo o fogo do sol pode secar
O medo que corre em mim
de nunca mais poder te tocar
Me fez nascer o amor
que nada no mundo pode matar

Amante

Ela parou em seus olhos,
Sua enorme vontade de tocar aqueles lábios a enlouquecia,
Sua respiração parava...
Uma falta de ar tomava conta de seus pulmões
Sua mão suava frio,
Sua cabeça mal conseguia pensar,
Ela não sabia o que fazer...
Estava ali o homem so seus sonhos...
Mas não poderia toca-lo,
Enlouquecida, na fuga de suas vontades
Ela sorria, talvez funcionasse..
Se ele não estivesse tão perto...

O fundo de mim

Quem sou eu?

sou poesias em estrofes e versos

sou o medo do acaso

o desejo do amor...

eu sou a filha da guerra com a loucura

não sou a cura, sou a doença...

sou o sol que derreteu as asas de ícaro

o mar que o afogou

Sou a lua que iludiu ismália

Sou a paz...

não sou o sonho, sou o pesadelo...

Sou a epidemia, a pandemia que só me ataca

que me fere, me doi e me mata...

Saudade - Cartas de um amante

Ela não tem mais escrito suas cartas de louca amante
O que pode ter acontecido?
Haveria ela morrido de amor?
Se afogado em suas amarguras?
Ou encontrado aquele que no fundo temo que a encontre?
Seria terrível se nunca mais pudesse ler sua letra infantil...
Sentir como minha aquela imaturidade que é somente dela...
Seria terrível não poder sentir seu cheiro amadeirado naquela carta fria...
Espero receber suas revoltas o quanto antes...

Sinto falta das suas cartas